quinta-feira, 28 de junho de 2007

Sobre Moscas e Cavalos

Ontem, um senhor me alertou que apertar aquele botão que, em tese, faz com que o sinal de pedestres da Consolação se abra, não adianta nada. Segundo ele, é pura ilusão das nossas mentes achar que vamos acelerar alguma coisa ou que, se não apertarmos, nada vai acontecer.

A isso, seguiu-se uma breve fábula contada sob o sol do meio dia, que reproduzo aqui:

"Quando uma carroça está subindo uma estrada muito íngreme e difícil, as moscas vão acompanhando os cavalos, grudadas em suas orelhas, enquanto o controlador da carroça (esqueci o nome certo) dá chicotadas nos pobres animais. Na cabeça das moscas, os cavalos só continuam subindo porque elas estão ali, grudadinhas, fazendo zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz nas orelhas deles. Ou, por outra, pensam os pequenos insetos que se parassem de fazer zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz nas orelhas dos cavaos, eles parariam repentinamente de andar."


Tudo isso ele me contou com um sotaque espanhol que minha limitação impede de definir se é europeu ou latino-americano.

Quem arrisca a moral da história?